mercado

14 dicas fundamentais de como avaliar a arte de artistas mais jovens

Veja uma lista com diversos pontos úteis no momento de avaliar artistas que começaram recentemente no mundo da arte.

Por Paulo Varella - novembro 27, 2019
2239 0
Pinterest LinkedIn

Nesta matéria vamos falar como avaliar artistas jovens e em que devemos nos focar para poder precificar uma obra de arte sem um longo histórico.

Na maior parte, os leilões vendem obras de artistas consagrados, ou seja, artistas com bases colecionáveis ​​e bons nomes, sejam essas obras reconhecidas – com mercados fortes e arte que é de oferta insuficiente – ou difíceis de encontrar, que licitantes irão competir para possuí-la.

Os leilões normalmente não interessados ​​em vender arte de artistas mais jovens, não comprovados ou menos experientes. Esses artistas tendem a ter reconhecimento de nome limitado, bem como bases de colecionadores pouco claras ou instáveis, carreira modestas ou arte que está prontamente disponível em várias fontes no mercado.

Para a maioria desses artistas, anos ou mesmo décadas podem ter que passar antes que seu trabalho seja apresentado em leilão (supondo que isso seja feito). Assim, fica difícil ter uma base de preços de artistas baseados em resultados de leilões.

como avaliar artistas jovens:  norman Rockwell

Para avaliar os preços da arte de um artista mais jovem, comece pelo perfil online dele: currículo, realizações de carreira, experiência em exposições e histórico recente de vendas.

Quando a arte estiver à venda em uma galeria, peça para ver o currículo do artista. Quando estiver à venda on-line, procure o currículo.


Como avaliar artistas jovens

1) Um currículo saudável deve incluir:

  • shows individuais.
  • shows em grupo dos quais o artista participou.
  • entrevistas, artigos ou resenhas sobre o artista.
  • prêmios ou distinções que o artista ganhou.
  • colecionadores ou instituições que possuem o trabalho do artista, e assim por diante.

Quanto mais profundo o currículo nos aspectos acima, melhor.

Para ser levado a sério, um currículo deve incluir: nomes, datas e locais de shows, eventos, resenhas e assim por diante.

Fique atento quando, em vez de um currículo, você recebe um ensaio sobre o artista, especialmente se estiver repleto de generalidades como “o artista exibiu internacionalmente” ou “o artista é mundialmente famoso”. Besteiras assim não significam absolutamente nada a menos que seja acompanhado de nomes, datas e fatos para dar suporte.


“generalidades sobre o artista são baboseiras que devem ser ignoradas”


Além do currículo, fale com galerias ou outros locais que vendem a arte e fontes confiáveis ​​sem conflito de interesse. Quando possível, fale com o artista diretamente para avaliar melhor como sua carreira está progredindo e o mercado geral de sua arte.

Não tenha medo de fazer perguntas, incluindo questionamentos sobre preços. Como alguém que está pensando em gastar dinheiro em arte, você tem direito a fazer quantas perguntas quiser.

como avaliar artistas jovens 1

Fatores que tendem a indicar se a arte de um artista mais jovem tem um preço justo

1) Grande numero de exposições

Veja se pelo menos metade das peças nos programas mais recentes do artista foram vendidas. Isso significa que os colecionadores consideram o mérito na arte e acreditam que o preço é razoável.

Quanto maior a porcentagem de arte que vende e quanto mais exposições o artista tiver com resultados semelhantes, melhor.

2) Quanto mais galerias, melhor

Quando várias galerias ou sites oferecem, vendem ou representam a arte pelo artista, isso indica não apenas uma demanda pela arte, mas também que o artista é produtivo e capaz de satisfazer as necessidades de mais de um vendedor.

3) Produtividade

Produtividade é uma das melhores medidas de quão sério um artista é sobre o sucesso. Quanto mais galerias e sites representam um artista e quanto mais difundidos esses locais, melhor.

4) Quantidade de tempo que o artista é representado pela galeria

Quando o artista foi representado por uma galeria, se foi por período significativo de tempo e se teve mais de uma mostra com esta galeria. Essas características significam que o revendedor pode vender a arte de forma consistente e acreditar no potencial futuro do artista. Quanto mais tempo um artista estiver com uma galeria, melhor.

Se o artista está aparecendo em uma nova galeria pela primeira vez, ele deve ser capaz de mostrar evidências de vendas passadas, relacionamentos estendidos com outras galerias e falar sobre a exposição com a nova galeria em termos de ser uma movimento lógico.

5) Quando os preços aumentam sem diminui vendas

O aumento dos preços, mesmo que de 10% a 20%, e vendas constantes ou crescentes indicam um mercado saudável para a arte. Lembre-se de que os aumentos arbitrários de preços não têm sentido se não forem acompanhados por aumento de vendas. O preço tem que ser com base na demanda, popularidade do artista, aclamação da crítica e reconhecimento pela comunidade artística.

6) Preços comparativos são positivos

Quando os preços do artista se comparam favoravelmente aos de artistas que produzem arte semelhante, vivem na mesma área geográfica e têm realizações de carreira semelhantes.

7) Número de exposições significantes em um ano

Se o artista teve pelo menos uma ou duas exposições significativas no ano ou nos últimos anos, essa é outra indicação de que o artista é capaz de produzir arte consistentemente, e que os colecionadores estão comprando-a consistentemente.

Shows pouco frequentes ou esporádicos não costuma ser comportamentos de um artista que é dedicado e comprometido.

8) Mostras em diferentes partes do país

O artista tem mostras em diferentes partes do país, ou melhor ainda, internacionalmente, tanto on-line quanto em locais físicos.

9) Prêmios

Se o artista recebeu prêmios, concessões ou outras distinções por sua arte.

10) Documentação

Se a galeria pode documentar os preços de venda do artista.

11) Críticas favoráveis

Quando o artista foi destaque em artigos, entrevistas ou resenhas em revistas de arte, sites de arte significativos ou outras publicações respeitadas.

12) Livros e catálogos

Quando houverem livros ou catálogos de exposições, além daqueles auto-publicados ou divulgados pela imprensa da vaidade.

13) Reconhecimento nas instituições

Quando o artista foi ou será em breve incluído no museu ou em espetáculos notáveis.

14) Objeto de colecionadores

Quando colecionadores estabelecidos ou conhecidos, tanto privados quanto institucionais, possuem arte do artista. Os colecionadores são considerados estabelecidos ou bem conhecidos se forem reconhecidos e respeitados pela qualidade de suas coleções de arte, não se forem famosos ou conhecidos apenas por realizações não relacionadas à coleta de arte (como líderes empresariais, atores, figuras esportivas, políticos, etc.).


Espero que esta lista tenha sido útil para você na hora de avalias um artista. Se você precisar de ajuda na hora da avaliar um artista, pode entrar em contato comigo pelo [email protected] ou pelo telefone 11 4612 6019 – 4612 3157.


veja também:

https://arteref.com/mercado/8-termos-do-mercado-de-arte-que-os-novos-colecionadores-precisam-saber/

Avatar

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários