Diversos

O que é o indice Mei Moses?

Por Paulo Varella - novembro 20, 2019
36 0
Pinterest LinkedIn

O índice de Mei e Moses é conhecido por analisar as vendas repetidas no mercado de arte (venda do mesmo objeto em diferentes momentos) para rastrear alterações de valor.

A conhecida casa de leilões Sotheby’s comprou os direitos deste índice para ter acesso exclusivo a esta ferramenta analítica e poder fornecer informações ​​para complementar a experiência de classe mundial dos especialistas da empresa.

Os índices incluem um banco de dados de 45.000 vendas repetidas de objetos em oito categorias de coleta, aproximadamente 4.000 das quais mudam de mãos a cada ano.

A metodologia permite à Sotheby’s comparar o desempenho do investimento da Art com várias classes de ativos, analisar seu desempenho com inúmeros benchmarks e concorrentes e medir o impacto das forças macroeconômicas e sociais no mercado de arte.


mei moses index

“A comunidade de coleta é cada vez mais sofisticada e, em muitos casos, busca análises para entender o mercado geral, tendências individuais de artistas e categorias, o valor de suas coleções, além de obter informações sobre o tempo de suas remessas e compras”, diz Adam Chinn, vice-presidente executivo da Sotheby.

“Estamos muito felizes por poder fornecer aos colecionadores, informações adaptadas às suas necessidades, ao mesmo tempo, em que nos ajudam a identificar e examinar tendências que podem inspirar outras inovações na Sotheby’s para melhor atender uma base de clientes em expansão”.

mei moses
Mei Moses. Tabela de impressionistas americanos e “Old Masters” (1955-2004)

Quem são Mei e Moses

JIANPING MEI, Ph.D.

É professor associado de finanças da Stern School of Business da Universidade de Nova York. Ele ganhou um Ph.D. e um mestrado em economia, pela Universidade de Princeton e um diploma de bacharel em direito.

Formado em matemática pela Universidade Fudan. Os interesses de pesquisa do Dr. Mei incluem preços internacionais de ativos e financiamento de ativos reais. Ele publicou mais de trinta artigos na American Economic Review, no Journal of Finance, no Journal of Financial Economics, no Review of Financial Studies, no Real Estate Finance e em outros periódicos acadêmicos.

MICHAEL MOSES, Ph.D.

É professor associado de administração da Stern School of Business da Universidade de Nova York. Ele ganhou um Ph.D. e um M.S. graduado em ciências da administração pela Northwestern University, e obteve um diploma de bacharel formado em matemática pelo Worcester Polytechnic Institute. A arte como uma classe de ativos e o preço de ativos com pouca frequência estão entre seus interesses atuais de pesquisa. Ele publicou artigos na American Economic Review, no Journal of Finance, Management Science, Operations Research e na revista Antiques. Ele escreveu livros sobre móveis Newport do século XVIII, gerenciamento de operações e resolução de problemas de gerenciamento. O Dr. Moses atuou como consultor de estratégia corporativa para a General Electric, IU International, Processamento Automático de Dados e outras empresas.

Veja também: Fundadores do índice de arte Mei Moses planejam uma versão chinesa (texto em inglês)


O que o índice Mei Moses não mostra?

Analisar a arte como investimento tem dois grandes obstáculos. O primeiro é a relativa falta de dados, pois as vendas de arte acontecem com muito menos frequência do que as transações financeiras.

A outra é que cada obra de arte é diferente, tornando-se difícil comparar como uma peça é vendida em relação à outra. Uma maneira de desenvolver uma visão do mercado, apesar desses desafios, é desenvolver um índice, um conjunto de valores ao longo do tempo que mostre em que direção o mercado está tendendo.

Um índice pode verificar tendências e acompanhar a volatilidade do mercado. Dois mercados com uma capitalização muito diferente são frequentemente comparados usando seus índices.

Por fim, os gestores de fundos podem usar um índice como referência para o desempenho de seus fundos, ou seja, se estiverem com um desempenho muito baixo no mercado, provavelmente desejam mudar de estratégia. Neste post, consideramos como são construídos os índices no mercado de arte.

Mei Moses grafico


Para construir um índice, duas classes principais de modelos matemáticos foram desenvolvidas para prever preços:

  • 1) O método de vendas repetidas e
  • 2) Regressões hedônicas.

Se usa uma regressão hedônica para prever valores de obras de arte por várias razões, além de apenas construir índices. Entretanto vale a pena comparar essa opção com o principal índice do mundo da arte, o Mei Moses, que usa o método de repetição de vendas.

Jianping Mei e David Moses desenvolveram esse índice e o divulgaram em 2001. Nesse momento, o conjunto de dados era de 4.500 pares de vendas escolhidas a dedo, representando a aquisição e revenda de uma obra posteriormente.

Quando a Sotheby’s adquiriu o índice em 2016, esse número havia aumentado para 45.000 e os criadores do índice afirmam que o número de vendas repetidas adicionadas a cada ano foi de cerca de 4.000. [2]

A principal desvantagem deste método é que somente as vendas repetidas podem ser incluídas.

No setor imobiliário, 90% das vendas representam propriedades sendo revendidas, mas no mundo da arte, menos de 15% são repetidas.[2]

Portanto, o método de repetição de vendas usa apenas uma pequena parte dos dados disponíveis. Isso tem o potencial de introduzir um grande viés no índice, pois esses 15% das vendas podem não ser representativos do mercado, considerando que trabalhos particularmente bons ou ruins têm maior probabilidade de serem revendidos. [3]

Mei Moses grafico

Analisar a arte como investimento tem dois grandes obstáculos. O primeiro é a relativa falta de dados, pois as vendas de arte acontecem com muito menos frequência do que as transações financeiras.

A outra é que cada obra de arte é diferente, tornando-se difícil comparar como uma peça é vendida em relação à outra.

Uma maneira de desenvolver uma visão do mercado, apesar desses desafios, é desenvolver um índice, um conjunto de valores ao longo do tempo que mostre em que direção o mercado está tendendo.

Um índice pode verificar tendências e acompanhar a volatilidade do mercado. Dois mercados com uma capitalização muito diferente são frequentemente comparados usando seus índices.

Mei e Moses afirmam que a principal vantagem do método de vendas repetidas é que ele não sofre com a especificação “arbitrária” de uma regressão hedônica.

Mei e moses tem uma amostragem muito baixa

Se você olhar para o relatório de mercado da TEFAF”, ele indica que algo em torno de 265.000 objetos de arte vendidos em leilão somente em 2015. Os índices de arte Mei Moses capturam menos de 2% disso.[5]

Arturo Cifuentes, professor da Columbia Business School, aponta que “No mercado de arte, as vendas repetidas representam uma fração bastante pequena do total. (Por outro lado, no mercado imobiliário, as vendas repetidas são mais de 90% do total) .

Portanto, é improvável que qualquer índice de arte baseado em vendas repetidas – como o Mei-Moses – seja considerado pouco representativo de qualquer segmento de mercado.

Cifuentes também é diretor acadêmico do Centro de Regulação Financeira e Estabilidade Macroeconômica da Universidade do Chile.

“Em resumo, e infelizmente”, continua Cifuentes, “o mercado de arte ainda carece de índices ou índices universalmente aceitos – e transparentes -, e é improvável que a aquisição pela Sotheby’s dos índices Mei Moses altere isso.

O mercado de arte está a anos luz de distância dos indices como o S&P 500 ou ao índice MSCI World. ”

Clare McAndrew, que foi a autora do relatório da TEFAF e agora escreve um relatório anual do mercado de arte da Art Basel, concorda.

Dr.Clare McAndrew
Dr. Clare McAndrew

“Existem algumas coisas únicas sobre vendas repetidas que tornam esse modelo um pouco complicado”,

Dr. Clare McAndrew

“Os índices baseados nas vendas de leilão ignoram o varejo e o setor privado. Mei Moses ignora as vendas individuais também. Às vezes você precisa voltar muito no tempo para encontrar uma venda repetida, para que as informações nem sempre sejam exatamente atuais. “

Ela continua:

“Os índices são uma parte útil do que deve ser um grupo muito rico de métricas que deve incluir análise qualitativa”, disse ela.

“Mas as pessoas talvez estejam pondo muito peso nos índices.”


O que é o indice S&P 500?

Uma abreviação de Standard & Poor’s 500 e também conhecido por “o S&P” trata-se de um índice composto por quinhentos ativos (ações) cotados nas bolsas de NYSE ou NASDAQ, qualificados devido ao seu tamanho de mercado, sua liquidez e sua representação de grupo industrial.

É (S&P 500) um índice ponderado de valor de mercado (o ativo multiplicado pelo número de ações em circulação) com o peso de cada um no índice proporcional ao seu preço de mercado.

S&P tabela de 1950 a 2016

Os componentes do S & P 500 são selecionados por um comitê. Isso é semelhante ao Dow Jones Industrial Average, mas diferente de outros, como o Russell 1000, que são estritamente baseados em regras. Ao considerar a elegibilidade de uma nova adição, o comitê avalia o mérito da empresa usando oito critérios principais: Capitalização de mercado, liquidez, domicílio, flutuação pública, classificação setorial, viabilidade financeira e período de tempo negociado publicamente e bolsa de valores. Cada um desses critérios principais possui requisitos específicos que devem ser atendidos.

Propriamente dito, o S&P 500 não deve receber modificações, ou seja, deve-se manter a expressão original, pois trata-se das 500 ações mais importantes para o mercado, ações que medem mudanças, situações, cenários em que a economia está exposta.



O que são preços hedônicos?

A abordagem dos preços hedônicos (ou implícitos), como método de avaliação de bens, tem por base a hipótese de Lancaster (1966) de que os atributos de uma determinada mercadoria têm valor por propiciar utilidade a quem os consome.

Desse modo, os atributos são responsáveis por parte do valor de mercado de um bem e é possível afirmar que há uma relação entre seu valor e suas características. Contudo, elas não são avaliadas isoladamente.

A partir disso, Lancaster configurou dois estágios de relações entre indivíduos, bens e características:

  • Relação entre bens e suas características (técnica)
  • Relação entre indivíduos e características (de preferências individuais).

Desse modo, com base nessas relações, é possível construir vários modelos funcionais.

Rosen (1974), por outro lado, propõe um caso particular desses modelos em que a relação de dependência é estabelecida entre o preço do bem e suas características, conduzindo à função, preço hedônico.

Este procedimento é conhecido como abordagem dos preços hedônicos.

A perspectiva hedônica provê um método que identifica a estrutura dos preços dos atributos que compõem a mercadoria heterogênea, mediante a estimação da função que relaciona o preço dessa mercadoria com os preços dos diferentes atributos desse produto (preços implícitos).


Mei e Moses x regressão hedônica

Nossa crença é que a regressão hedônica pode ser cuidadosamente projetada para maximizar seu poder preditivo, e que isso supera qualquer sentido, pode ser menos objetiva.

Lembre-se de que os dois modelos produzem erros em suas estimativas; portanto, cabe ao modelador reduzir esse erro o máximo possível e escolher qual é mais útil para eles.

Para os curiosos, um índice de vendas repetido começa com a suposição de que, enquanto um trabalho é realizado, seu valor é composto continuamente à taxa R.

Essa taxa é calculada como o logaritmo natural da razão entre o preço de venda e o preço de aquisição. R pode ser imaginado como a soma das taxas anuais, r, para o trabalho para cada um dos anos em que foi realizado.

Por sua vez, todos os anos têm uma taxa de retorno média, m, em todas as obras realizadas naquele ano. O objetivo é encontrar o conjunto de m que minimize a diferença total entre todos os m e os r ativos de cada ano.

Com o m em mãos, um índice pode ser calculado definindo o primeiro ano com algum valor base, geralmente 100, e calculando novos valores de acordo com a taxa de crescimento especificada pelo m de cada ano. [4]

Embora um índice calculado dessa maneira possa lhe dizer qual a tendência do mercado e quão volátil parece, deixa muito a desejar como uma ferramenta de investimento.

a escolha de uma determinada peça de trabalho é um tiro no escuro

Os índices de arte Mei Moses podem mostrar que você pode investir em arte ou em um determinado setor de arte, mas a escolha de uma determinada peça de trabalho é um tiro no escuro. A regressão hedônica, por outro ledo ajuda melhor nesta escolha.


[1] Bocart Fabian Y. R. P., and Hafner Christian M. (2015), Volatility of Price Indices for Heterogeneous Goods with Applications to the Fine Art Market, J. Appl. Econ., 30, pages 291–312. doi: 10.1002/jae.2355

[2]:Artnet — See What Experts Have to Say About Sotheby’s Acquisition of the Mei Moses Art Indices

[3] Chanel, Olivier, Louis-André Gérard-Varet, and Victor Ginsburgh. “The Relevance of Hedonic Price Indices.” Journal of Cultural Economics 20, no. 1 (03, 1996): 1–24. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s10824-005-1024-3.

[4] Mei, Jianping, and Michael Moses. “Art as an Investment and the Underperformance of Masterpieces.” The American Economic Review 92, no. 5 (2002): 1656–668. http://www.jstor.org/stable/3083271.

[5] See What Experts Have to Say About Sotheby’s Acquisition of the Mei Moses Art Indices: https://news.artnet.com/market/sothebys-acquisition-mei-moses-art-indices-725648

Avatar

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificar de