Artes Plásticas

Embaixo da terra, o céu de novo

Por Paulo Varella - agosto 8, 2012
1966 0
Pinterest LinkedIn

Quem é o artista? Adriano Amaral
O que vai ter na exposição?
Esculturas, colagens e uma instalação
Até quando?
01 de setembro

Galeria Transversal abre exposição de Adriano Amaral

Adriano Amaral realiza sua primeira individual “Embaixo da terra o céu de novo”. São trabalhos que, em comum, sofrem o processo de transformação da matéria a partir do encontro de diferentes matérias, afim de revelar uma tensão entre natureza e cultura. Em uma das paredes, o artista exibe dois painéis de grande formato, compostos por pequenos feltros geométricos que resultam de uma ação nas ruas da região oeste de São Paulo. Os feltros são fixados no asfalto com fitas adesivas e na frente de cada um deles é colocado um recipiente com pigmento preto. Os carros espalham esse pó preto que penetra na lã através da pressão dos pneus. Esses pedaços de feltro são “abandonados” na rua por pelo menos um dia inteiro.

No piso da galeria, o artista reúne três esculturas de chumbo e pedra. Aqui, Adriano modela em argila uma forma geométrica e faz secções a fim de criar módulos com proporções regulares. Em seguida uma pedra é cravada ou simplesmente jogada sobre a peça de argila. “O impacto da pedra deforma a geometria inicial da peça e estabelece uma nova forma não determinada por mim, mas pelas propriedades dos materiais colocados em atrito”, explica Adriano. “E com o processo de fundição por cera perdida a peça originalmente em argila se transforma em chumbo e a pedra bruta é então justaposta sobre a peça de metal”, conclui.

Uma grande instalação intitulada ”Dilúvio Adormecido” completa a mostra. O artista pretende criar uma “tempestade” composta por inúmeras pedras fundidas em alumínio e suspensas por delicadas tiras de papel japonês. São pedras recolhidas das terras de sua família em Poços de Caldas – MG, uma região conhecida pela extração de bauxita para a produção de alumínio. Após a exposição, Adriano Amaral, que já exibiu seus trabalhos no projeto Solo Objects na feira Arco em Madri (2012) e na exposição Nova Escultura Brasileira na Caixa do Rio de Janeiro (2011), muda-se para Londres, onde realiza mestrado em escultura por dois anos no conceituado Royal College of Arts.

O artista

Adriano Amaral, 30 anos, escultor, trabalha com processos de transformação da matéria a partir do encontro entre diferentes densidades, como pedra e chumbo. Nascido em Ribeirão Preto, foi lá que participou de sua primeira exposição coletiva, no Museu de Artes de Ribeirão Preto (MARP), em 2010. No começo de 2011, o escultor participou do II Salão dos Artistas Sem Galeria, organizado pela Casa da Xiclet, com curadoria de Celso Fioravanti (Mapa das Artes), e da Mostra Nova Escultura Brasileira, realizada pela Caixa Cultural. Em 2012, apresentou sua obra na categoria solo object na Arco Madrid e participou do Programa de Exposições do MARP (Museu de Arte de Ribeirão Preto).

Possui formação acadêmica em Publicidade e Propaganda, realizada na Escola Superior de Propaganda e Marketing. Participou da criação de vários curta-metragens, como roteirista, diretor e montador: Muro Reto, Sonhos Tortos (em produção), Hábitos Cênicos (2010), projeto piloto Vinheta Cérebro MTV (2007) e O Rubro do Mofo (2006).

Vernissage: dia 11 de agosto (sábado), das 11h às 15h

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Artigo anterior
Próximo artigo

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários