Galerias e Eventos

Conheça a exposição “Nós que Habitamos o Mundo Alheio”

Conheça 46 obras de 8 artistas nessa galeria virtual.

Por Equipe Editorial - março 18, 2021
333 0
Pinterest LinkedIn

“As mulheres precisam estar nuas para entrar no Metropolitan Museum de Nova York? Menos de 5% dos artistas nas seções de arte moderna são mulheres, mas 85% dos nus são mulheres”.

Este é um dos primeiros pôsteres produzidos pelas Guerrilla Girls, um grupo nova-iorquino de artistas feministas anônimas que lutam contra o sexismo e o machismo no mundo da arte.

O que mostram os números aqui do MASP? 6% dos artistas da coleção em exibição são mulheres; 60% dos nus são mulheres. Esses números revelam a realidade de hoje.

No século 21, a igualdade de gênero no universo artístico está longe de ser resolvida.

Linda Nochlin, historiadora da arte, no artigo “Por que não houve grandes mulheres artistas?”, afirma um novo paradigma na história da arte que mostra que as barreiras sociais têm impedido as mulheres de desenvolverem seu lado artístico e serem reconhecidas como artistas.

A reforma do MOMA, que custou 450 milhões de dólares, foi mais do que mudanças na estrutura arquitetônica e ampliação de espaços. O objetivo era aumentar a diversidade, incluindo mais obras de artistas mulheres vindas de todas as partes do mundo. Inclui a compra de “A Lua” de Tarsila do Amaral por 20 milhões de dólares (valor assumido), facto que vai valorizar ainda mais as obras da artista.

Assim, a proposta desta exposição “Nós que Habitamos o Mundo Alheio” é mais uma das muitas iniciativas para provocar conversas, reações, discussões, intensificar a busca pela igualdade de gênero, em coleções ao redor do mundo, e permitir que as pessoas contemplem a arte feita por mulheres.

Online Viewing Room | Nós que habitamos um mundo alienígena
Online Viewing Room | Nós que Habitamos o mundo Alheio. Faça um tour pela galeria virtual aqui

Eu escolhi oito artistas – de diferentes cidades, idades, formações acadêmicas e com diversas técnicas – para mostrar o que essas mulheres realizaram: Adalgiza, Ciça, Duda, Fernanda, Gisele, Josie, Lídia, Salua.

Conheça o catálogo da exposição aqui

Há uma bióloga, arquiteta, engenheira, jornalista, gerente, geógrafa, executiva de TI, engenheira biomédica. Algumas são jovens, outras maduros, com ou sem filhos, vindos de diferentes cidades próximas e distantes, como Hong Kong. Elas são solteiras, casadas, divorciadas.

Eles são independentes e decidem suas próprias vidas, cientes de que a vida em um mundo estranho não é fácil.

A descoberta da necessidade de produzir arte veio a cada uma de forma especial e em momentos diferentes. Hoje, essa é a razão de suas vidas, desde pagar contas no final do mês até acalmar o caos que o mundo vive hoje. 

Para todas, é superar a luta diária por não ter um mundo próprio. A diferença é que com suas artes talentosas e criativas, elas estão construindo este mundo para nossas filhas, netas, bisnetas …

Hoje, Linda Nochlin respondeu à pergunta no título de seu artigo: “não houve grandes artistas porque não houve condições sociais, políticas, culturais e intelectuais”.

Então, vamos criá-las, implacável e continuamente.

Faça o tour virtual aqui

Curadoria: Ligia Testa


Saiba mais sobre o Espaço de Arte Ligia Testa


Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?


Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica 

(Atenção: Os e-mails podem ir para sua caixa de promoções)

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários