Arte

Artista pinta ao vivo num Museu em Lisboa

Por Equipe Editorial - julho 29, 2016
3375 0
Pinterest LinkedIn

Quem é a artista?
Natália Gromicho estudou pintura na Faculdade de Belas Artes e na Escola ArCo, em Lisboa. Com 20 anos de carreira, assinalados em 2015, tem representado Portugal em várias mostras internacionais, colectivas bem como individuais, num total de mais de 100 exposições. A sua obra integra colecções particulares e institucionais em todo o mundo, com destaque para Portugal, Austrália, EUA, Brasil, Itália, Rússia, França, Reino Unido, Timor-Leste, Singapura e Índia. Natália Gromicho pinta em regime de “open studio”, permitindo ao público observar o trabalho em curso.

O que terá na mostra?
Pinturas em telas, detalhes e vídeo com a artista abaixo.

Quando?
Até 11 de Setembro.

Picasso em lances geniais
7 termos franceses usados em arte que você precisa saber

Vídeo com a artista, em Macau.

Após a abertura de uma das suas mais prestigiadas exposições em Portugal, no Museu do Oriente em Lisboa, de regresso após semanas em Macau numa residência artista, depois de vários anos em exposições pelo Oriente, Natália Gromicho desafia agora todas as diretrizes e formalidades e propõe ao publico, acompanhar a criação de uma obra, ao vivo, em pleno Museu.

É este o desafio que o Museu do Oriente propôs á artista Natália Gromicho e que será apresentado no dia 05 de Agosto, a partir das 15h na galeria Nascente do Museu do Oriente em Lisboa.

Neste dia, para além da sessão de Live Painting, a artista fará uma visita guiada pela exposição Do Ocidente para o Oriente, que inaugurou no passado dia 21 e que estará patente até 11 de Setembro.

Índia, Timor-Leste, China e Singapura, inspiraram as 71 obras de grande formato, pintadas entre 2012 e 2016 pela artista plástica portuguesa Natália Gromicho, agora reunidas na exposição Do Ocidente para o Oriente.

Tinta acrílica sobre tela, óleo ou técnica mista, foram usadas nestas obras em que prevalece o abstracionismo e onde não faltam os tons quentes e as sobreposições densas, de que são exemplo a construção pictórica e ritmo de “Mar Oriental”, “Lago em Tóquio”, “Floresta de Inverno Japonesa” ou “Lost in Singapore”. A par destas, de destacar ainda composições de cariz figurativo em torno da figura feminina, parte de uma série em desenvolvimento. No seu todo, a exposição reúne paisagens, instantes do quotidiano mas também homenagens a ícones culturais como a gueixa ou o samurai, numa perspectiva multifacetada e abrangente do território visitado e vivenciado.

A ligação ocidente-oriente é uma realidade de facto e não apenas artística: Natália Gromicho terminou no final de Junho uma residência artística na Casa Garden, delegação da fundação Oriente em Macau. As 11 obras daí resultantes estarão expostas a partir de 30 de Junho, também na Casa Garden.

“A distância que separa o Oriente do Ocidente foi a base do meu trabalho. Nasce de uma profunda admiração pelos povos orientais. Num território culturalmente tão vasto e rico, abordei apenas o que me é mais caro – disciplina, vestuário, arquitetura. Foi para mim um enorme desafio” explica a artista a propósito daquela que é a sua primeira exposição a solo num museu português.

SERVIÇO
Exposição “Do Ocidente para o Oriente”
Curadoria:
 Goncalo Madeira
Endereço: Av. Brasília Doca de Alcântara Norte, 1350-362 Lisboa, Portugal
Horário: Aberto hoje – 10:00–22:00
Telefone: +351 21 358 5200
www.nataliagromicho.com

Veja também:

Conheça a maior pintura que Picasso já fez e você nunca viu

 

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários