Movimentos

Os 7 principais artistas do dadaísmo que você precisa conhecer!

Apesar de sua missão niilista, o dadaísmo levou ao surgimento e refinamento de várias inovações importantes nas belas-artes

Por Equipe Editorial - julho 19, 2019
155385 3
Pinterest LinkedIn

Separamos os principais artistas do dadaísmo, movimento artístico e literário contrário à cultura e os valores burgueses (tidos como apoiadores à carnificina da Primeira Guerra Mundial).

Rapidamente, se transformou em um tipo anarquista de arte, altamente vanguardista, cujo objetivo era subverter a ordem política e social.

Como um grupo “anti-arte”, recorreu a táticas para atacar as tradições estabelecidas, realizando manifestações artísticas absurdas, projetadas deliberadamente para escandalizar e chocar tanto as autoridades quanto o público, em geral.

Ironicamente, o dadaísmo levou ao surgimento e refinamento de várias inovações importantes nas belas-artes, incluindo colagem e foto-montagem. Além disso, passou a influenciar vários movimentos de arte posteriores, tanto os modernos, como Surrealismo e Pop-Art, quanto técnicas artísticas contemporâneas, como Instalação e Performance.

Recorte dadaísmo
Recorte e colagem, técnica dadaísta

Para seus integrantes, a “ideia” por trás de uma obra passa a ser mais importante do que o próprio trabalho físico; daí a descrição de dadaísmo mais como uma “atitude” do que um movimento.


1. Hugo Ball, 1886-1927, Pirmasens, Alemanha

 Hugo Ball
dadaísmo; Manifesto Dadaísta

Poeta, escritor e filósofo alemão. Foi um dos principais artistas do movimento e escreveu o Manifesto Dadaísta, sendo considerado por muitos teóricos o inventor da poesia fonética.


2. Marcel Duchamp, 1887 – 1968, Blainville-Crevon, França

Marcel Duchamp
Duchamp e sua obra Roda de bicicleta (1913)
dadaísmo; A fonte (1917)
A fonte (1917)

Pintor, escultor, poeta francês e um dos precursores da arte conceitual. Cidadão dos Estados Unidos a partir de 1955, e inventor dos ready mades.

Seu modo de vida boêmio e paixão pelos jogos de xadrez, dos quais participou de torneios, podem ser vistos ao longo de sua carreira artística, na qual temos obras de inspiração romântica, expressionista, até mesmo de natureza cubista e futurista. Além disso, era contra a “arte retiniana”, ou seja, aquela que agrada à vista.


3. Hans Arp, 1886 – 1966, Estrasburgo, França

Hans Arp
dadaísmo; Déméter (1960)
Déméter (1960)
Escultura

Figura marcante no cenário das Vanguardas Europeias, participou do Grupo Cavaleiro Azul, foi importante artista dadaísta, surrealista e ligado ao abstracionismo.

Pintor, escultor, artista gráfico e poeta, Hans Arp buscou em sua arte a simplicidade e a pureza das formas. Um dos pioneiros da Arte Abstrata, já não se preocupava com a expressão plástica do ser e do objeto, mas com a “forma pela forma”.


4. Raoul Hausmann, 1886 – 1971, Viena, Áustria

dadaísmo; Raoul Hausmann
dadaísmo; raoul-hausmann
A cabeça mecânica: o espírito de nosso tempo (1920) | | Colagem “abcd” (1923)

Artista plástico, poeta e romancista austríaco. Com o pseudônimo Der Dadasophe exerceu um destacado papel como dadaísta, participando dos grupos de Zurique e posteriormente de Berlim. Foi crítico às instituições da Alemanha durante os anos transcorridos entre as duas guerras mundiais.


5. Francis Picabia, 1879 – 1953, Paris, França

dadaísmo; Francis Picabia
Desfile Amoroso (1917) dadaísmo;
Desfile Amoroso (1917)

Foi um pintor e poeta francês. Recebeu uma forte influência do impressionismo e do fauvismo.

De 1909 a 1911 esteve vinculado ao cubismo e foi membro do grupo “Puteaux”, onde conheceu Marcel Duchamp, Jacques Villon, Suzanne Duchamp e Raymond Duchamp-Villon.

Em 1913 viajou aos Estados Unidos, onde entrou em contato com o fotógrafo Alfred Stieglitz e o grupo dadaísta estadunidense. Em Barcelona, publicou o primeiro número de sua revista dadaísta “391” (1916) contando com colaboradores como Apollinaire, Tristan Tzara, Man Ray e Arp.


6. Max Ernst, 1891 – 1976, Brühl, Alemanha

dadaísmo; Max Ernst
dadaísmo; Édipo Rei (1922)
Édipo Rei (1922)

Nasceu em 1891, em Brühl, Colônia, na Alemanha. Aprendeu a técnica de pintura com seu pai, um pintor de temas religiosos. Aos 15 anos já copiava paisagens de Van Gogh. Estudou na Universidade de Bonn, entre 1910 e 1914. Depois de uma breve passagem pelo Cubismo fundou, em 1919, em Colônia, junto com Jean Arp, o grupo dadaísta.


7. Man Ray, 1890 – 1976, Filadélfia, Pensilvânia, EUA

Man Ray
Man Ray
A primazia da matéria sobre o pensamento (1929)

Fotógrafo, pintor e anarquista, foi um dos nomes mais importantes do movimento dadaísta da década de 1920, responsável por inovações artísticas na fotografia.

Estudou arquitetura, engenharia e artes plásticas, começou a pintar quando era jovem. 

Em 1915 conheceu o pintor francês Marcel Duchamp, com quem fundou o grupo dadaísta nova-iorquino. Para produzir suas obras, utilizou a raiografia ou fotograma para criar imagens abstratas (obtidas sem o auxílio da câmara), mas com a exposição à luz de objetos previamente dispersos sobre o papel fotográfico.


Entre as principais características do movimento dadaísta, podemos citar:

  • Objetos comuns do cotidiano eram apresentados de uma nova forma e dentro de um contexto artístico;
  • Irreverência artística;
  • Combate às formas de arte institucionalizadas;
  • Crítica ao capitalismo e ao consumismo;
  • Ênfase no absurdo, nos temas e conteúdos sem lógica;
  • Uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc.) na composição das obras de artes plásticas;
  • Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo.

Transforme - Banner Instaarts

Veja mais sobre artistas do dadaísmo


Fonte

visual-arts-cork

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
trackback
Decoração Escandinava, conheça e se apaixone também.
1 ano atrás

[…] da arte europeia através de movimentos como a Bauhaus alemã, os construtivistas russos e os dadaístas suíços espelhava uma crescente rejeição das noções tradicionais de classe social e […]

Elaine Melo
Elaine Melo
4 meses atrás

Na 1ª foto à esquerda, não é a Elsa von Freytag-Loringhoven, e sim a atriz russa Maria Germanova na peça The Blue Bird de Maeterlinck/ 1908.